terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Estudo de Romanos

Escola Bíblica Dominical – Igreja Presbiteriana de Macapá / Central – 06/11/2011
Estudo de Romanos
Ø  Romanos 8: 31-39
·         Verso 31 – “Que diremos, pois...” se refere a tudo aquilo que Paulo já expressou no capítulo, seria uma conclusão de toda a exposição por ele feita, “... se Deus é por nós...” em amor eterno, em graça Divina, em chamada Divina, em substituição, em justificação; se Deus nos aceitou, nos glorificou. Portanto, “...quem será contra nós?” A Lei, foi honrada; a Justiça Divina, foi satisfeita; Satanás, já está julgado e condenado. Quando Paulo diz “se Deus é por nós”, ele não está dizendo que não vai haver oposição, mas, que toda e qualquer oposição não poderá derrubar o cristão, nenhuma oposição terá significado e toda acusação estão respondidas em Cristo.
·         Verso 32 – “... aquele que não poupou o seu próprio Filho...” lembramo-nos de Gêneses 22, Deus poupou o filho de Abraão no Monte Moriá, porém, séculos posteriores neste mesmo monte que passou a chamar-se Calvário, Deus não poupou seu Filho. Por causa do sacrifício do Filho, e, do Pai não tê-lo poupado, toda a herança que o filho recebeu dará também aos eleitos (adoção).
·         Verso 33 – a obra principal de Satanás não é a tentação, mas, a acusação, ele quer tirar a nossa segurança. Quem nos justificou foi o Juiz de todos, Deus. João 8. A perfeita obediência foi repassada para todos aqueles que por fé receberam a Cristo, nós somos justificados pelos méritos de Cristo.
·         Verso 34 – não há condenação, Ele cumpriu todos os requisitos. A ressurreição testifica o que Ele alcançou e que Ele foi aceito como sacrifício pelo Pai (I João 2). Ele é o nosso Juiz, nosso advogado e nosso redentor. Ele é nosso intercessor.
·         Versos 35 e 36 – Quem poderá nos arrancar das mãos de Deus?


ü  Tribulação: tentação, aflição, dificuldade.
ü  Angústia: do corpo e da alma.
ü  Perseguição: do mundo e dos falsos irmãos.
ü  Fome: falta de alimento e bebida.
ü  Nudez: falta de provimento.
ü  Perigo da espada: atentado contra a vida.
O amor de Cristo é eterno, infinito, imutável e irrevogável (Romano - 11:29).
·         Verso 37 – “Em todas estas coisas...” (tribulação...) não somos vencidos nem derrotados, mas somos aperfeiçoados (Tiago - 1: 2, 3 e 4), somos conquistadores e vencedores. Paulo era um homem cheio de Deus, ele era cheio de tribulação.
·         Verso 38 e 39 – no original é “estou totalmente persuadido” Paulo apresenta diversas situações que apesar de difíceis não nos separará do amor de Deus. O capítulo oito, portanto, fala da segurança que temos em Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário